quarta-feira, 11 de novembro de 2015

A Eira de Leocádia

Mais uma visita a um local bem pertinho mas com muito pouco para ver, o seu estado ruinoso e a força da natureza limitam imenso o reconhecimento de elementos dignos de registo. Localizada no baixo Mondego, a Quinta de Santa Leocádia é uma propriedade do séc. XVI com uma clara vocação agrícola. A sua enorme eira é ainda bem visível e será, provavelmente, o elemento desta quinta que mais me fascinou. Dali, os campos do mondego "avistam-se até se perderem de vista"...


Foto originalmente publicada, em 2006, por Prof. Godin em Skyscrapercity
Foto de Outubro de 2015.

O mais curioso nesta Quinta é a Capela de Nossa Senhora da Graça que durante tantos anos foi venerada pelo povo, tendo chegado a paróquia inclusivamente, por estar envolta numa lenda...
O outrora local de culto é uma "...construção quinhentista com cabeceira em corpo destacado com abóbada de cúpula circular. Teria as imagens de Nossa Senhora da Graça e Santa Leocádia num retábulo de pedra dividido em três nichos, outrora policromado. Tinha ainda uma pequena sacristia."

Segundo a lenda, "...a imagem de Santa Leocádia apareceu num monte de pedras soltas. Foi levada para a ermida, mas para espanto de todos, ela fugiu do altar. Foi encontrada no monte com a imagem de N. S.ª da Graça. Foram então levadas para a ermida de onde não mais saíram. Era local de eleição para enterramentos dos moradores do Marujal. O primeiro enterramento diz respeito a Manuel Nunes, a 1 de Julho de 1620." 

Deixo-vos uma publicação de 1721 que tenta retratar o "milagre" sob o título "Santuário Mariano e História das imagens milagrosas de Nossa Senhora".



...

Pouco ou nada sobra para contar a história da Quinta, é perceptível que o edifício terá sofrido algumas obras mas é impossível perceber o objetivo das mesmas. Toda a casa terá ruído sobre si própria e hoje é uma sombra do que certamente terá sido um dia, ficam as fotos possíveis...







De acordo com populares, já no século XX a capela terá sofrido um roubo que a despojou de tudo quanto era de valor e desde então, tal como a restante quinta, tem vindo a sofrer do que trata este endereço web, o abandono. Este roubo é algo que me intriga profundamente, senão vejamos, se a imagem da Santa fez questão de reaparecer no cimo do monte noutras ocasiões porque é que não o fez aquando do seu roubo no século XX??? Milagre? Mistério Tanga?







Enviar um comentário